O ímpio com a boca destrói o próximo, mas os justos são libertados pelo conhecimento. Provérbios 11:9








Data Publicação: 07/04/2018 17:26:00
Profeta Judeu Jeremias: Os falsos profetas

Ano: 597 A.C

A profecia de Jeremias ocorre logo depois da segunda invasão Babilônica, que levou o Rei Joaquim como escravo e depois da terceira deportação que levou 10.000 judeus como escravos também para a Babilônia.

Diante da nação, Jeremias profetiza especificamente contra os falsos profetas, no trono davídico está o Rei Zedequias (597 A.C a 586 A.C), o último rei de Israel antes da interrupção da linha davídica que surgirá novamente com o reinado davídico do Messias Judeu.

Jeremias diz que ele está como um homem bêbado, embriagado e  vencido pelo vinho por causa de Adonai. 

O profeta Judeu está desesperado, visivelmente em um colapso emocional ao ponto de dizer que seus ossos estão estremecidos e o coração quebrantado dentro dele. Após muitos anos denunciando as práticas idólatras, corrupção, perseguição aos inocentes, depravação sexual e corrupção religiosa; agora ele denuncia com destaque, os falsos profetas!

Jeremias mostra sua indignação com os sacerdotes e profetas, ele não suporta mais as mentiras da classe religiosa e profética de Judá. Por ter denunciado às práticas iniquas da nação, através da santa palavra de Adonai, ele tornou-se alvo de humilhações, perseguições e isolamento por parte da população e amigos.

A idolatria da nação era tão caótica, que Jeremias por muitas vezes alertou a iminência de guerras e disciplina através de fome, epidemias e mortes como resultado da ira de Adonai sobre a nação; mas, nada disto surtiu efeito, o povo, os sacerdotes e os profetas não se arrependiam de seus pecados.

 

Em sua denúncia, o profeta descreve os pecados dos sacerdotes e profetas, assim como os pecados da nação:

1) Adúlteros

2) Mentirosos

3) Falsos

4) Corruptos

5) Traidores

6) Impediam o arrependimento da nação

7) Usavam a influência para a prática do mau

8) Profetizavam da parte de Baal

 

O sistema religioso tinha se transformado em um prostíbulo, a própria natureza estava gemendo com o pecado da nação, em muitos lugares havia secas e escassez de comidas.

Profetas e sacerdotes usavam a influência para controlar as massas de pessoas, para seus desígnios idólatras, eles estavam mergulhados com feitiçaria, roubos, fraudes de salários, exploração dos pobres e opressão de viúvas; a nação tornou-se uma prostituta religiosa, juntamente com seus líderes e profetas. 

Mesmo no Templo, Adonai encontrou maldade e idolatria.

No período do profeta judeu Amós, o Templo tinha se tornado um centro de ladrões e salteadores e agora, Adonai diz que Judá tornou-se pior que Sodoma e Gomorra!

Sim, a nação que entoava cânticos a Adonai, tinha se tornado pior que Sodoma e Gomorra!

Diante deste cenário, Adonai levantaria grandes calamidades sobre a nação, usando a natureza, epidemias, fomes e guerras; como punição pela idolatria.

Os falsos profetas eram culpados pelo colapso que vivia a nação!

 

  

Silas Anastácio
Evangelista e Expositor Bíblico
JERUSALÉM ETERNA