O ímpio com a boca destrói o próximo, mas os justos são libertados pelo conhecimento. Provérbios 11:9








Data Publicação: 24/01/2018 18:51:00
Profeta Judeu Amós: Calamidade sexual, religiosa e jurídica

A situação do Reino do Norte, Israel, era devastadora em 755 A.C.

O profeta judeu Amós, atua agora como um legista em Moabe, Judá e Israel.

A idolatria em Israel tornou-se uma grande metástase, o reflexo disto era visível no judiciário - juízes corruptos vendiam os pobres por um par de sandálias e aceitavam suborno.

Pai e filho praticam sexo junto com as prostitutas cultuais, em adoração aos deuses das nações gentílicas.

Havia se espalhado por toda a nação, altares e muitos desses lugares eram praticado orgias sexuais e relacionamentos homossexuais.

Os profetas e sacerdotes eram corruptos e pregavam mentiras; até os nazireus se embebedavam com o vinho!

A nação estava sucumbindo às secas, enchentes, fome e terremotos; mesmo assim, o povo não se arrependia de seus pecados!

Diante deste cenário, o D'us de Israel levanta a Assíria para destruir o Reino do Norte e até mesmo o homem mais valente fugiria nu para escapar dos soldados Assírios.

Em Judá, a situação ainda não era alarmante, mas já estava em declínio espiritual, então Adonai pune com uma invasão Assíria, colocando fogo sobre os castelos de Jerusalém.

Na foto de capa, a deusa Ishtar que foi inserida em Israel e ao culto judaico. Ela representava a fertilidade, e era utilizada para a proteção, pedir amantes, vitalidade, longevidade, orgias sexuais, feitiços, liberdade sexual, prostituição, adivinhações, cura e homossexualismo.

No templos onde eram feitas a adoração a Ishtar, os sacerdotes eram homossexuais e as sacerdotisas serviam como prostitutas sexuais, o que levava a muitos a praticarem orgias sexuais, inclusive entre integrantes da mesma família.

 

 

 

Silas Anastácio
Evangelista e Expositor Bíblico
JERUSALÉM ETERNA