O ímpio com a boca destrói o próximo, mas os justos são libertados pelo conhecimento. Provérbios 11:9








Data Publicação: 02/10/2017 13:20:08
O profeta Judeu do dízimo

Malaquias, o profeta mais mal interpretado da bíblia!

Ele mostra que a verdadeira adoração, não vem através do desejo de prosperar.

Da mensagem:

Muitos usam algumas de suas citações, para argumentar ideias errôneas sobre o dízimo e escravizam o povo dizendo que se não der o dízimo será amaldiçoado!

Ironia do destino... 


Foi justamente isto que o profeta combateu!

O povo só queria dar dízimo se tivesse retorno, se D'us os abençoassem materialmente! Se não houvesse retorno material, D'us não serviria para ser adorado.

Malaquias dedica seu tempo para chamar os líderes religiosos ao arrependimento, porque eles estavam envolvidos em corrupção, exploração dos pobres, profanavam o Templo e o sistema sacrificial, além de estarem envolvidos em adultérios e feitiçarias!

Os líderes eram orgulhosos e não admitiam que estivessem em pecado, a adoração passou a ser um ritual mecânico e hipócrita.

O povo mergulhou nas mesmas práticas dos líderes,  Judá estava mergulhada em corrupção, exploração dos pobres, idolatria casamento com pagãos, divórcios etc.

Maridos abandonavam suas esposas para casarem com outras mulheres e deixavam suas primeiras esposas passarem extremas necessidades e fome.

Após o retorno das mesmas práticas do passado, e após as mensagens de chamada ao arrependimento da nação que não se arrependeu dos pecados, o D'us de Israel se cala durante 400 anos por causa da frustração causada pela nação iníqua!

Então... só há um caminho para libertar Israel, Judá e todas as nações da terra do pecado: Jesus, Yeshua HaMashiac.

Após 400 anos de silêncio, viria aquele que mudaria a história do mundo, para sempre, o redentor!

 

Do tempo do Profeta:

Já tinha passado aproximadamente 100 anos após o retorno dos Judeus a Palestina, e novamente a Apostasia se espalhou pela nação de Judá.

O povo lentamente começou a voltar às mesmas práticas que levaram a nação ao cativeiro Babilônico.

A corrupção, roubo, feitiçaria, idolatria, casamentos mistos e exploração dos pobres e das viúvas; voltaram a ser uma prática comum entre os líderes religiosos e o povo.

 

Da história:

Passado o rei: Xerxes (Assuero) - 486 A.C a 465 A.C, o Ministério de Malaquias acontece durante os reinados dos Reis: Artaxerxes I - 464 A.C a 423 A.C e Dario II - 423 A.C a 404 A.C.

Alguns eventos importantes já tinham ocorridos, tais como a Queda da Babilônia em 539 A.C durante o reinado de Belsazar, a posse do trono Medo Persa por Dario I em 538 A.C, o término da construção do 2º Templo em Jerusalém em 515 A.C, também o retorno de 50.000 judeus à Palestina em 538 A.C - liderado por Zorobabel, Esdras foi para Jerusalém em 457 A.C, Neemias vai para Jerusalém em 445 A.C e a construção dos muros de Jerusalém em 444 A.C.

A segunda leva de Judeus para repovoar Judá e Jerusalém ocorreu em 464 A.C durante o reinado de Artaxerxes I.

 

Silas Anastácio
Evangelista e Expositor Bíblico
JERUSALÉM ETERNA