O ímpio com a boca destrói o próximo, mas os justos são libertados pelo conhecimento. Provérbios 11:9








Data Publicação: 15/06/2018 21:45:08
O ministério do profeta judeu Jeremias

Paz e prosperidade! Paz e prosperidade!
Esta nação jamais será destruída! 
Nós somos a nação escolhida por D'us!
Nós somos o povo escolhido por D'us!
Nada poderá nos destruir!

Era essa a mensagem dos falsos profetas! Eles diziam o que os líderes queriam ouvir, eles diziam o que o povo queria ouvir.

O profeta Judeu Jeremias, eleito deste o ventre de sua mãe para profetizar sobre Judá, inicia seu ministério no ano 627 A.C e termina no ano 581 A.C, com sua morte no Egito.

O profeta profetiza arrependimento para a nação, mas os políticos, nobres e os pobres não queriam ouvi-lo. Ao invés de se arrependerem, espancaram Jeremias, deixaram-no com sede, tentaram matá-lo por inúmeras vezes, mas o D'us de Israel o fez vencedor sobre uma nação iníqua que não se arrependia.

Judá, o reino do Sul, tinha como exemplo a destruição do Reino do Norte, Israel - Samaria e Betel; mas mesmo assim, as lições foram desprezadas e Judá caminhava para a ruína.

 

Da situação interna de Judá e Jerusalém:

Os líderes religiosos, profetas, nobres e os pobres estavam envolvidos em corrupção, idolatria, adultérios, roubos, homicídios, depravação sexual, feitiçaria, consulta aos mortos, sacrifícios humanos, sodomia e falsa religiosidade.

 

Da situação Internacional:

Em 722 A.C Israel foi destruído com a invasão dos Assírios.

Em 612 A.C a Babilônia invadiu a Assíria e o Egito sob o domínio de Faraó Neco, que mais tarde se juntaram na Batalha de Carquemis em 605 A.C para derrubar a Babilônia sob o reinado de Nabopolassar e Nabucodonozor, mas a Babilônia venceu sobre eles.

Em 605 A.C a Babilônia leva seus primeiros prisioneiros, cativos de Judá para a Babilônia.

Em 597 A.C a segunda deportação de prisioneiros, cativos de Judá para a Babilônia.

Em 586 A.C a destruição total de Judá e Jerusalém. Há mortos por toda a parte, não há comida, e o exército de Judá foi subjulgado e apenas e um pouco de pessoas (remanescentes) sobreviveram, mas tornaram-se escravos na Babilônia.

 

Judá escolheu o pecado, ao invés do arrependimento.

 

Silas Anastácio
Evangelista e Expositor Bíblico
JERUSALÉM ETERNA