O ímpio com a boca destrói o próximo, mas os justos são libertados pelo conhecimento. Provérbios 11:9








Data Publicação: 13/01/2018 21:15:06
O grande ataque a Israel - Gogue e Magogue

Estamos no fim, e obviamente diante de nós está havendo grandes eventos proféticos e ainda haverá outros muitos maiores.

O mais assustador de tudo isto, é vermos a situação da Igreja, especialmente a Ocidental, que esta anestesiada pela iniquidade, que ainda não compreendeu o momento que estamos vivendo. 

Diante do cenário atual, sinto-me na necessidade de abordar a profecia de Gogue e Magogue para clarear os sinais que estamos vendo no oriente médio.

Gogue e Magogue será um dos maiores ataques a Israel, desde o período do Egito.

Diferente do Império Assírio no Reino do Norte em 722 A.C, o Império Babilônico que devastou Judá em 605 A.C, 597 A.C e 586 A.C e a queda de Jerusalém no ano 70 D.C pelos romanos; Israel obterá uma intervenção divina em sua proteção, caso contrário, Israel desapareceria do mapa.

As nações que atacarão a Israel farão exatamente isto, por odiar o D'us de Israel, assim como Mashiac Yeshua que ocupará o trono davídico e abraâmico.

Logo, o antissemitismo nada mais é que a concretização da rejeição e oposição ao D'us de Israel e o Maschiac de Israel.

Adonai usará todos estes eventos para trazer reflexão aos judeus, levando ao entendimento que Yeshua é o único Messias de Israel e também é um momento missionário para todas as nações da terra.

Dos tempos atuais, até o grande retorno do Mashiac, cada judeu refletirá o porquê as nações os odeiam, o porquê eles são tão odiados. Muitos perderão a esperança!...

Então Adonai conduzirá os Judeus a salvação através do Mashiac Yeshua.

Muitas nações também verão que de fato, há um D'us em Israel e temerão e se converterão dos seus maus caminhos, mas grande parte das nações e povos rejeitarão a salvação vinda de Israel e se unirão ao Anticristo (falso messias), para tentar destruir os Judeus e Gentios crentes no Senhor Jesus, assim como tentarão aniquilar Israel que será o centro do governo de Yeshua!

Diante do cenário atual, já é possível ver a gravidade do momento que estamos vivendo.

No dia 21/12/2017, a ONU aprova resolução para tentar anular o reconhecimento de uma Jerusalém Judaica para uma Jerusalém islâmica, dos 193 países que participaram, 128 votaram contra Trump, 35 se abstiveram e apenas 9 votaram a favor; os 9 países que  foram a favor: Togo, Micronésia, Nauru, Palau, Ilhas Marshall, Guatemala e Honduras, além de Estados Unidos e Israel.

 

A análise que farei neste artigo será longa, abordarei:

1) Profecia

2) Análise Bíblica

3) Hebraico

4) Flávio Josefo

5) Geografia

6) Geopolítica

7) Análise militar

 

Há muita discussão sobre o tema, do qual muitas pessoas tendem a crer que se trata de uma coalisão turca, mas mostrarei as razões aqui, que elimina os fatos.

Há muitas similaridades entre a Rússia e Turquia, principalmente no que concerne ao antissemitismo, mas há uma grande diferença sob a ótica militar e geográfica.

 

Da profecia:

Resumidamente o capítulo 37 de Ezequiel fala sobre a revivificação de Israel e dos judeus, mostrando uma nação sem alento e esperança, ressurgindo politicamente e onde (Espírito Santo) Ruach Hakodesh efetuará a regeneração dos Judeus, levando a uma conversão em massa ao Messias de Israel, Jesus.

O clímax desta reunificação e regeneração ocorrerá com o retorno glorioso e visível do Senhor Jesus sobre Jerusalém, centro de seu trono Davídico, Abraâmico e Eterno.

Ainda no capítulo 37, para o processo de restauração de Israel exige que os judeus retornem para sua terra, principalmente para os eventos apontados no capítulo 38 e 39.

Então a qualquer momento, inicia um Aliyah em massa dos Judeus para Israel, provavelmente forçados por causa da influência islâmica no mundo, liderado pelas nações com apoio de governos de esquerda, que repudiam abertamente os judeus e a Israel, associando-os com ideologias maçônicas, sionistas destrutivas e por causa do conflito Israel x Palestina.

Abordarei resumidamente os versículos referentes aos capítulos 38 e 39 de Ezequiel que trata de Gogue e Magogue.

 

Ezequiel 38: 2

Mostra que o ataque é organizado por Gogue, que é o líder da terra de Magogue.

Magogue foi citado por Flávio Josefo, um dos maiores historiadores judeus, que mostrou que Magogue tratava-se da terra dos citas, região a norte e nordeste do Mar Negro e a leste do mar de Aral, também sobre o domínio Russo.

Meseque e Tubal situavam-se na área da moderna Turquia.

 

Ezequiel 38: 3

Neste versículo, Adonai mostra seu repúdio para com o líder russo, que tem o domínio do Leste da Turquia (Meseque e Tubal). Sendo assim, ele mesmo se levantará contra essa coalisão que tem como objetivo exterminar Israel e os judeus do mapa.

 

Ezequiel 38: 4

O líder russo será capturado em anzóis e sua coalisão sofrerá um duro golpe.

 

Ezequiel 38: 5, 6

Aqui mostra os países aliados de Gogue, que formarão uma poderosa coalisão contra Israel vinda do Norte. São eles: Irã (Persas), Sudão do Norte (Etiópia), Líbia (Pute), Ucrânia/Criméia (Gômer) e Turquia/Irã (Togarma). Então de forma simples, os países: Irã, Etiópia, Líbia, Turquia, Ucrânia/Criméia e Síria serão os países aliados do líder Russo que atacará Israel. Importante destacar que o grupo de países poderá ser maior, devido os limites territoriais que mudaram de acordo com os anos, podendo haver nesta coalizão: Azerbaijão, Cazaquistão, Armênia, Geórgia e Kuwait.

Diante das migrações de povos, é possível também a Alemanha estar presente, justamente através dos povos de Gômer, de onde o Talmude dá as informações, lembrando que parte deste povo alcança a Ucrânia no Sul, Criméia.

 

Ezequiel 38: 7, 8, 9

O exército é descrito com uma grande horda de soldados que invadirão Israel, e neste momento os judeus já estão reunidos após o reajuntamento mundial, devido o antissemitismo global que já estamos vivendo.

Isso mostra que muitos judeus tiveram que fugir das nações gentílicas para não morrerem!

Outro fator importante, é que o ataque é inesperado, Israel não estava preparado para isto, o que poderíamos entender que o elo de amizade entre Israel e Rússia é superficial e haverá traição por parte dos russos que possuem um elo de amizade poderoso com muçulmanos.

Este elo de amizade comunista-islâmico segue o modelo mundial nos tempos modernos, contra o Ocidente capitalista Judaico-Cristão.

Estimo que somente a Rússia, Irã e Turquia já formam um exército de quase 6 milhões de soldados contra 790 mil soldados israelenses!

 

Ezequiel 38: 10, 11, 12

O cenário aparenta ser tão seguro para os judeus, antes do ataque surpresa, que as aldeias estão sem muros e há uma "paz" reinando sobre Israel e Jerusalém.

Não há nem fechaduras nas portas das casas!

Mais uma vez, mostra que já houve o reajuntamento dos Judeus, e alguns optaram por morar nas áreas de desertos e muitos possuem gados nesta região. 

 

Ezequiel 38: 13

O ataque ocorrerá em um momento de paz que Israel estará vivenciará, o povo se sente em segurança e as nações vêm para saquear as riquezas de Israel.

Israel é o maior prêmio cobiçado pela coalisão Russa, com seus aliados muçulmanos; as nações  Sebá e Dedã, eram nações árabes que conheciam a riqueza comercial de Israel, agora refere-se a Arábia Saudita, nação islâmica que quer e deseja essa riqueza para eles!

Társis é normalmente usado para a Espanha na Bíblia ou extremidades do mundo Mediterrâneo, possivelmente incluindo o ocidente da França e até Inglaterra.

Parece haver um protesto também destes países citados a Rússia, um desconforto destes países pelo que a Rússia está fazendo. 

 

Ezequiel 38: 14, 15

O ataque virá do Norte de Israel, juntamente com multidões de soldados formando um poderoso exército.

Adonai está trazendo as nações para atacar Israel, através disto, o mundo conhecerá seu grande poder!

O cenário é de extrema segurança para os Judeus, mas eles serão enganados pelo anticristo que conduzirá este ataque surpresa para exterminar os judeus e Israel.

 

Ezequiel 38: 16, 17, 18

Este ataque foi convocado pelo próprio Adonai a Israel, que usará este evento para manifestar seu poder sobre a terra. Seria um evento similar ao que ele fez no Egito, e o que ele fará no Armagedom, nos últimos 1260 dias do acordo Israel x Palestina. 

As nações se espantarão diante do evento, e, com certeza, haverá muitas conversões ao Messias de Israel neste período.

 

Ezequiel 38: 19, 20, 21, 22

A indignação de Adonai contra Gogue e seu exército é tão grande, que os peixes, aves, animais e homens sobre a face da terra tremerão diante do poder do D'us de Israel. Até os montes se estremecerão e haverá um distúrbio dentro da coalisão Russa que os soldados começarão a matar uns aos outros!

Haverá saraiva de fogo para matá-los e fogo em enxofre para queimá-los! Eles estão desafiando o D'us de Israel!

A indignação continua, e haverá uma peste que atacará os soldados e em seguida uma grande chuva de saraiva e enxofre sobre todo o exército e tropas, um grande derramamento de sangue e cadáveres por todos os lados.

 

Ezequiel 38: 23

Muitas nações conhecerão a santidade do D'us de Jacó. 

Este ataque não teve nenhuma nação para apoiar Israel e nem mesmo às tropas de Israel reagirão, somente o poder, a glória e a santidade de Adonai livrou os Judeus e Israel da aniquilação!

 

Ezequiel 39: 2, 3, 4

A queda da coalisão Russa acontecerá nos montes do Norte de Israel, através de uma intervenção divina e haverá uma grande quantidade de alimento de cadáveres para as aves do céu e animais de rapina.

 

Ezequiel 39: 6, 7

Diante da indignação de Adonai, ele trará um grande incêndio sobre o território Russo e suas proximidades que abrangem a terra dos Citas, marcando o fim da Rússia e seus aliados.

A queda do maior Império Comunista do Mundo!

 

Ezequiel 39: 9, 10

Israel tomará as armas desta coalisão e usarão por sete anos, também usarão armas para fazerem fogo e pegaram todos os despojos dos inimigos.

O fato de usarem as armas por sete anos indica que o ataque ocorrerá no começo e não no meio, após 1260 dias do falso acordo Israel x Palestina, se fosse assim, eles teriam que usá-las durante o reino milenar, o que é totalmente inconcebível!

 

Ezequiel 39: 11

A sepultura da Rússia e seus aliados será nas montanhas do Norte de Israel, um lugar de humilhação para os russos que ficarão famosos por sua devastadora destruição.

 

Ezequiel 39: 12, 13, 14

Os corpos demorarão sete meses para serem sepultados e depois deste período, um grupo de judeus rebuscadores ajuntarão os ossos com apoio da população.

Também será necessário apoio dos judeus comuns para encontrar os cadáveres, a quantidade de corpos é muito grande, se fosse somente para os militares encontrarem e enterrarem sozinhos! 

 

Ezequiel 39: 15-29

Adonai chama as aves e os animais novamente para devorarem os cadáveres dos soldados e as nações saberão que há um D'us em Israel.

Ele chama as nações de imundícia e transgressoras que se levantaram contra ele.

Em questões práticas, a unificação das nações contra Israel, é nada mais que se opor contra o verdadeiro D'us, criador dos céus e terra e a rejeição ao trono davídico do Senhor Jesus.

Podemos ver também Adonai perdoando os pecados de idolatria da nação Israelita e prometendo a restauração nacional de Israel e dos Judeus, no qual haverá uma conversão nacional ao Messias de Israel, Jesus.

Mesmo diante de um retorno em massa dos Judeus para Israel, muitos ainda permanecerão nas nações gentílicas, e ele promete reunir todos os judeus em Israel para implantar o reino milenar, que durará 1000 anos, em cumprimento literal das promessas feitas a Abraão, Isaque e Jacó.

Os judeus ímpios que recusarem Yeshua serão destruídos e condenados ao inferno, então no reino milenar, somente Judeus Messiânicos.

Após a unificação de todos os judeus justos, salvos pelo cordeiro pascal, Jesus, inicia o reino milenar com o trono davídico sobre Jerusalém, que será a capital Eterna da terra!

 

Da análise bíblica:

 

Antes de qualquer coisa, precisamos ter em mente qual é o tempo do período apocalíptico, ou seja, da septuagésima semana de Daniel.

Então este período é de 2520 dias de acordo o apóstolo João e o profeta Daniel, separado por duas fases de 1260 dias. Sendo assim o líder da Federação Romana, fará um acordo com Israel-Palestina por 7 anos (2520 dias) e quebrará o acordo após 3 anos e meio (1260 dias)

O profeta Jeremias utiliza o calendário de 360 dias, sendo cada semana descrita por Daniel perfazem 7 anos, e a última semana é de 7 anos em cumprimento da 70ª  semana, que trata-se do período apocalíptico, que nada mais é que a ira do Senhor sobre as nações e sobre os ímpios da terra, que incluem Judeus e Gentios que aceitaram a marca do líder político em sua mão direita ou na testa.

Gogue e Magogue será uma batalha que ocorrerá em duas fases, primeiramente no início dos sete anos tribulacional, ou seja, no início dos 1260 dias ou próximo ao início deste período e no fim do reino milenar, quando um grande grupo se rebelará contra o trono do Maschiac, então eles serão entregues a Satanás e ao juízo, trono branco e em seguida lago de fogo.

Importante destacar que há um sincronismo entre o líder da Federação Romana, que se levantará como cabeça de dez nações ou reinos, do qual transformará o Mar Mediterrâneo num lugar sob o controle de Roma, como nos moldes antigos quando o Império Romano possuía Israel e Jerusalém.

Gogue e Magogue é diferente do Armagedom, onde ocorre a última batalha em Israel para o retorno visível do Senhor Jesus sobre Jerusalém e a implantação do Reino prometido a Abraão, Isaque, Jacó, Davi e Salomão.

Com o fracasso militar de Gogue e Magogue, ocorre uma estruturação política e militar do anti-cristo (falso messias) para unir todas as nações e forças militares da terra para a destruição de Israel, dos Judeus Messiânicos e Gentios crentes no Senhor Jesus, que neste período também são chamados de Israel, aqui se trata do Armagedom.

Na segunda fase da tribulação, o caos militar está instalado por 1260 dias, sendo os últimos 3 anos e meio até a vinda do Mashiac sobre Jerusalém.

Esta guerra será encabeçada provavelmente pela China, uma vez que o Império Russo ruiu.

No Armagedom, são todas as nações da terra que formam uma coalização contra Israel e os Judeus em uma batalha que ocorrerá em 8 fases, incluindo a Índia, que juntos formarão o maior exército da terra!

Neste caso, é visível uma continuidade militar contra Israel pós-Rússia e harmônica na política comunista romana e islâmica, em busca da destruição da nação israelita, onde será o governo Eterno do Messias Jesus.

A segunda guerra de Gogue e Magogue citada em Apocalipse antecede a destruição do planeta e trata-se de uma guerra contra Jerusalém, diferente da primeira fase que ocorre contra Israel e não alcança Jerusalém, ou seja, os invasores não chegarão a Jerusalém, trono davídico do Messias Yeshua.

 

Do hebraico:

 

Faremos uma análise das palavras no hebraico para determinar o significado original das palavras e a região geográfica de acordo com o contexto hebraico.

 

Ezequiel 38 - Nova Versão Internacional (NVI-Português)

Profecia contra Gogue

38 Veio a mim esta palavra do Senhor: 2 “Filho do homem, vire o rosto contra Gogue, da terra de Magogue, o príncipe maior de Meseque e de Tubal; profetize contra ele 3 e diga: Assim diz o Soberano, o Senhor: Estou contra você, ó Gogue, príncipe maior de Meseque e de Tubal.

 

Ezequiel 38 - Hebraico

Profecia contra Gogue

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gogue (Gog)

A palavra Gog no hebraico, léxico número 1463, refere-se a um nome próprio como citado em 1 Crônicas 5:4 como um descente de Rubem, um Israelita, como também refere-se a um substantivo masculino, como trata-se no versículo 2 de Ezequiel referindo como alguém que pertence a terra de Magogue e príncipe (líder) de Rosh, Meseque e Tubal. 

Em outras palavras Gog é nacional de Magogue, mas tem sobre sua liderança Rosh, Meseque e Tubal; a localização de Gog, de acordo com o dicionário é Gog fica situado na região Norte.

 

Magogue (Magog)

A palavra Magogue no hebraico, léxico número 4031, refere-se a um nome próprio, provavelmente descendente de Jafé, filho de Noé, sendo assim, refere-se também a um nome de território tal como Rosh, Meseque e Tubal.

O que entraria de acordo com Gênesis 10:2, vejamos:

 

Os Jafetitas

Estes foram os filhos de Jafé:
    Gômer, Magogue, Madai, Javã, Tubal,
    Meseque e Tirás.

 

No mesmo dicionário podemos ver que a região de Magogue alcança um território que vai do Sul da Turquia (Capadócia), Iraque (Nínive/Assíria), atual Irã, atual Azerbaijão, Tabaristão (Norte do Irã) e Curdistão Iraniano.

Ainda no dicionário alcança o Norte, Leste e Sudeste da Armênia; a região Sudeste faz fronteira com o atual Irã e no Norte faz fronteira com a Geórgia região que foi parte da Rússia e invadidas muitas vezes pelos Iranianos, podemos ver a região na figura 2.

Se fôssemos isolar a Turquia como cabeça do ataque a Israel utilizando o mapa dos Medos, já mostraria insensato, devido a maior cobertura não estar na região da Capadócia, mas no Irã moderno, veja a figura 4 no item de geografia.

 

Príncipe (nasiy')

A palavra príncipe no hebraico, léxico número 5387, é um substantivo masculino e tem o mesmo significado de capitão e príncipe chefe, que nos faz compreender que ele lidera um grupo de países, além de seu próprio território, que é Magogue.

Essa mesma palavra é empregada 134 vezes no antigo testamento, inclusive em Josué 22:32 e em Gênesis 23:6 onde mostra uma referência ao Abraão, como príncipe do D'us de Israel.

De acordo com o dicionário essa mesma palavra pode ser traduzida como rei, sheik, capitão, governador e imperador; alguém de uma função exaltada e de grandes privilégios.

 

Cabeça (Rosh)

A palavra cabeça no hebraico, léxico número 7218, é um substantivo masculino e significa cabeça, mestre, chefe e homem principal; somado com o príncipe, leva-nos a entender que ele é um líder principal, um capitão dentre outros líderes que comanda territórios.

Essa palavra possui 599 ocorrências no Antigo Testamento, uma delas é em Gênesis 3:15, onde Adonai mostra que o Messias feriria com golpe mortal a cabeça de Satanás.

 

Meseque (Meshek)

A palavra Meseque no hebraico, léxico número 4902, é um nome próprio masculino e refere-se ao descendente de Jafé, assim como a terra respectiva de sua descendência.

A região abrange a Assíria, nos tempos em que moravam no oeste (ou noroeste) da Armênia e também nos tempos persas aparentemente mais ao nordeste (sudeste do Mar Negro).

Para um entendimento acerca de uma dos maiores Impérios do mundo, veja a figura 5.

De acordo com o Mapa, a região abrange a área do sistema fluvial Tigre-Eufrates, o que nos dias modernos corresponde a aproximadamente a maior parte do atual Iraque e Kuwait, além de partes orientais da Síria e de regiões ao longo das fronteiras Turquia-Síria e Irã-Iraque.

A região também alcança o Cáucaso, Europa oriental e da Ásia ocidental, entre o mar Negro e o mar Cáspio, que inclui a cordilheira do mesmo nome e as planícies adjacentes. Aquela região marca uma das fronteiras entre a Europa e a Ásia, fazendo com que alguns de seus países sejam considerados transcontinentais, como a Turquia, cujos territórios dividem-se em uma porção geograficamente europeia e outra asiática. A região é dividida em duas partes: uma no norte e outra no sul, respectivamente, Ciscaucásia e Transcaucásia; podemos ver no mapa 6.

Então concluímos que toda a região de Meseque, alcança a Federação Russa do Cáucaso, Irã, Turquia, Armênia, Azerbaijão e Síria.

 

Tubal (Tubal) 

A palavra Tubal no hebraico, léxico número 8422, é um nome próprio masculino e refere-se ao descendente de Jafé, assim como a terra respectiva de sua descendência.

A região abrange a Assíria, Capadócia e toda a região do Irã; podemos visualizar no mapa 4.

 

Do Flávio Josefo:

Há um  sentimento de alguns cristãos em defenderem a Turquia como Gogue e Magogue, mas utilizam como base a geografia como uma fonte exclusiva para a interpretação do texto, esmagando a descrição do historiador Flávio Josefo, como fonte de pesquisa.

Flávio Josefo é uma das principais fontes e testemunha ocular da vinda do Senhor Jesus sobre a terra e do profeta João Batista, além de inúmeros  relatos históricos detalhados sobre a história de Israel, dos Judeus e Jerusalém; utilizando detalhes surpreendentes que levou até uma compilação do livro: História dos Hebreus, sendo um dos livros mais bem respeitados nos tempos modernos, tanto por Judeus quanto Cristãos.

Então ignorar uma prova cabal de uma testemunha ocular de um dos principais historiadores judeus da história, seria no mínimo uma insensatez.

Nomes importantes de teólogos do Seminário Teológico do Texas (DTS), utilizam Josefo para a interpretação Bíblica, tais como Dwight Pentecost, John F. Walvoord, Lerry Sperry Chaffer, Charles Caldwell Ryrie (Bíblia Anotada), além de nomes como Tim Lahaye, Thomas Ice e Henry Halley.

Para os nomes citados acima, mostra o peso e contribuição para a linha interpretativa-literalista bíblica, que inclusive tem grande apoio do Palavra da Vida no Brasil.

 

Da geografia:

 

Flávio Josefo

De acordo com um dos maiores historiadores judeu, Magogue foi identificado como a terra dos Citas, uma região a norte e nordeste do Mar Negro e a leste do mar de Aral. 

Esta região é atualmente ocupada pela Rússia.

 

Dicionário John Davis

John, também cita Josefo como referência geográfica para a região dos Citas.

Ainda no mesmo dicionário, eles no dá uma ampla visão sobre a localização da região que fica ao norte do Mar Negro e ao oriente dos montes Cárpatos, sendo assim, fica acima da Turquia. Alexandre o Grande, encontrou habitantes na Ásia semelhantes aos Citas da Europa, formando uma só raça, a cítia asiática. Sendo assim, supõe-se que todo o nordeste da Europa, juntamente com a Ásia central e setentrional foram invadidos por citas nômades, eles seriam como bárbaros.

  

Wikipédia

No principal dicionário da internet, informações sobre os Citas vieram do historiador grego Heródoto que os descreveu em sua obra no século V a.C. e através de achados arqueológicos, obras em ouro encontradas nos kurgans (mamoas) na Ucrânia e sul da Rússia.


O nome "cita" foi usado também para se referir aos diversos povos vistos, ao longo da história, como semelhantes aos citas ou que viveram em qualquer lugar da imensa área que era conhecida até a Idade Média como Cítia.

No mesmo dicionário, diz que eles são povos Iranianos, interessante que se isto proceder, mostraria que o elo entre o atual Irã e a Rússia vem de berço.

 

Dos mapas:

 

Região dos Citas de acordo com John Davis, o balão em vermelho trata-se dos Montes Cárpatos e o grande círculo a área de abrangência.

Figura 1


  

 

Região apontada por Flavio Josefo:

Figura 2

 

 

Região apontada pelo Wikipédia:

Figura 3

 

 

Mapa dos Medo-Persa extraído do Wikipédia:

Figura 4

 

 

Mapa do Império Assírio

Figura 5

 

 

Mapa do Cáucaso

Figura 6

 

Dos pontos a considerar:

 

Para certificarmos que as profecias tratam da Rússia, e que um líder Russo que encabeçará o ataque a Israel, além de outros detalhes importantes, veremos alguns pontos:

  1. Rosh além de significa cabeça, capitão, líder e governante; possui um som similar a Rússia no hebraico léxico.
  2. A linha territorial utilizando os citas como referência, alcança Moscou, capital da Rússia moderna.
  3. Tubal foi a primeira província russa asiática a ser colonizada em que Pedro, o Grande, construiu um forte com base no Kremlin
  4. A nação de maior interesse é o maior aliado da Rússia, trata-se da Pérsia, Irã.
  5. O tempo do ataque é provável que seja no começo da septuagésima semana de Daniel, dos sete anos apocalípticos. Um dos fatores que determina isso, é o uso das armas dos inimigos pelos Judeus durante sete anos para fazerem fogo, além de usá-las para a defesa de Israel. Outro fator, precisará de sete meses para enterrar todos os cadáveres dos soldados que atacaram Israel!
  6. A conversão total e nacional dos Judeus ao Messias de Israel, acontecerá no fim dos sete anos, com a vinda visível de Yeshua sobre Jerusalém.
  7. Haverá duas grandes guerras, uma no início dos sete anos ou próximo do início, liderado pela Rússia, do qual Adonai tratará com essas nações específicas e direta e outra guerra ocorrerá no início nos últimos 1260 dias (após três anos e meio), que será com a unificação de todos os países da terra contra Israel e os Judeus, terminando com a destruição dos ímpios judeus e gentios através do Mashiac Yeshua, o Armagedom.
  8. No final do reino milenar, ocorrerá uma rebelião, do qual milhões ou até bilhões de pessoas (judeus e gentios ímpios) serão guiadas por Satanás para destruir Jerusalém, centro de adoração no Reino Milenar, mas serão destruídos com fogo vindo dos céus e em seguida vem Adonai julgando os ímpios e a destruição da terra nos moldes atuais, para recomeçar uma Nova Terra e a Nova Jerusalém Eterna! Apocalipse 20:7-9

 

 

Da geopolítica:

 

A Turquia de fato é o segundo maior exército militar do Oriente Médio, agregada a OTAN, perdendo apenas para os EUA, no entanto, não possui fabricação de armas nucleares, utiliza apenas armas compartilhadas com os EUA, mas que estão sendo transferidos para a Romênia, ao contrário da nação Israelita que possui um arsenal nuclear.

Os números de ogivas de Israel não são informados com detalhes para a comunidade internacional, no entanto, de acordo com alguns sites especializados, os números giram em torno de 80 ogivas nucleares.

Em Julho de 2016, Erdogan sofreu uma intervenção militar, que terminou com 265 mortos e ao menos 2.839 militares presos, alguns jornais falaram que houve uma mudança de 40% em toda a estrutura militar do país, fazendo que houvesse uma dissonância entre o governo do presidente Erdogan e os militares.

Tamanho estrago diante da intervenção militar fracassada que ocorreu no país turco, que Erdogan provavelmente soube antecipadamente da invasão que ocorreria no hotel em que ele estava em suas férias. Quando os soldados chegaram no local, ele já tinha fugido.

Atentamente ligados aos fatos, logo ele tratou de enviar um vídeo comunicando a toda nação sobre a intervenção militar, que levou grandes massas de pessoas às ruas, inclusive curdos para legitimar a eleição democrática do presidente.

O Exército turco era ligado à ideologia Kemalista, seguindo um modelo secular, oposto do modelo islâmico de Erdogan, que sonha em implantar o Império Otomano novamente.

Com a saída de milhares de pessoas as ruas para defender Erdogan, o exército só teria dois caminhos, matar a própria população e fazer um derramamento de sangue sem precedentes ou recuar, e foi justamente o que houve.

Após o fracasso dos militares, o presidente agradeceu ao seu deus alah por revitalizar sua política e poder, que agora aparece muito mais forte, levando ao fechamento de agências de notícias, prisões de jornalistas, perseguições aos cristãos, prisões e torturas de militares e generais que apoiaram a intervenção.

A Turquia é o quarto país com mais jornalistas presos no mundo.

Erdogan quer seguir um modelo ditatorial radical, que deu início a uma caça às bruxas nas forças policiais, no Ministério Público e no Judiciário, que levou a expulsão de dezenas de policiais e procuradores. Em um único decreto presidencial, Erdogan removeu dos postos 3.700 juízes e promotores; diante disto fica claro que a Turquia está a beira de um colapso nacional, isso desde 2013.

Na intervenção militar de 2016, utilizando os números após a retomada de poder, o ministro do Interior da Turquia, Efkan Ala, ordenou a destituição de cinco generais e 29 coronéis desde o início da tentativa de golpe. Mais de 2.800 militares foram presos pelas forças de segurança turcas.

Além disso, autoridades turcas removeram 2.745 juízes de seus cargos, além de cinco membros do alto conselho judicial do país.

Mesmo assim, Erdogan quer impor uma única religião, a islâmica, levando grupos a se levantarem nas ruas com bandeiras radicais islâmicas, se opondo a secularização do país.  

O status atual do país é um enfraquecimento militar, por causa da dissonância militar com o governo, gerando um momento delicado para o país, que acusou os generais americanos de apoiar o golpe.

Não obstante, os curdos são apoiados irrestritamente pelos americanos, especialmente na região do Iraque, fortalecendo a pedra no sapato da Turquia que nunca conseguiu resolver este impasse étnico, levando milhares de curdos a morte.

Para piorar a situação do país, Israel também está apoiando os curdos e enviando armas para eles, fazendo que eles sejam uma força inimiga em território "turco".

Então a Turquia predominantemente sunita, está rodeada de um exército curdo apoiado pelos EUA e Israel, além de estar próxima da Síria, Iraque, Irã, Azerbaijão, Kuwait e Bahrain que são predominantemente xiitas; que por sua vez possuem poderosos laços com a Rússia.

A Turquia jamais teria condições de liderar um ataque a Israel, sem apoio da Rússia, mesmo em um cenário que não haja mais a presença americana na região. A Rússia possui uma poderosa base militar na Síria, assim como também tem usado uma base do Irã na Síria para combater o Daesh.

Caso ela o fizesse sem o apoio da Rússia, ela poderia colocar os países xiitas em uma guerra, que facilmente se levantaria contra ela utilizando a influência russa.

Diante do afastamento da Turquia na política americana e Europeia, principalmente após a intervenção militar, seria muito mais conveniente para Erdogan se ajoelhar para a maior potência nuclear do mundo e formar uma coalizão harmônica e coesa para atacar Israel, do que ela liderar um ataque em um momento perigoso de sobrevivência da Turquia que caminha ao colapso militar, social, religioso e econômico.

Fato este que vem realmente acontecendo, Erdogan está se aproximando da Rússia para inibir o Curdistão e exterminar os jihadistas do Daesh. Fazendo indiretamente um início de diálogo, entre Turquia, Síria, Irã e Rússia.

Essa união entre Turquia e Rússia já está ocorrendo na Síria!

No dia 18 de Janeiro de 2017, o Jornal Euro News abordou o tema sobre a Rússia e a Turquia, do qual operavam a primeira operação militar conjunta no combate a grupos terroristas no norte da Síria. A missão decorreu em Al Bab, a nordeste de Alepo, e tinha 36 alvos definidos.

A Rússia será o primeiro país a liderar uma aliança entre diferentes facções islâmicas diferentes (sunitas e xiitas) e encabeçar um ataque a Israel.

Diferente da Turquia, a Rússia possui laços estreitos com a Síria, mesmo antes de Bashar Al Assad e o Irã, o que para a Turquia poderia ser a falência de sua nação, diante da maior potência nuclear do mundo.

De acordo com a Associação de Controle de Armas estima que a Rússia possua 7.300 ogivas nucleares, contra as cerca de 7.100 dos Estados Unidos. A França teria 300 ogivas, a China, 260 e o Reino Unido, 215. Além desses países, Paquistão, Índia, Israel e Coreia do Norte também possuiriam bombas atômicas.

Note que a Rússia no campo nuclear, é mais poderosa que os EUA, então jamais a Turquia faria algo sem se ajoelhar para Putin ou para a Rússia primeiro, após seu afastamento dos EUA e da Europa, se isolando em meio uma região com influência curda e xiita.

Inverso da Turquia que não consegue resolver seus problemas internos com os curdos e com os próprios militares, a Rússia ganha espaço no Oriente Médio, se tornando uma das maiores influências na região.

Mérito para os Russos que encabeçaram em apoio ao Bashar Al Assad uma guerra contra os sunitas, apoiados por Barack Obama que levou a uma das maiores perseguições de cristãos da história e a um derramamento de sangue na Síria estimado em 330 mil pessoas!

Enquanto Obama usava recursos públicos americanos para matar cristãos, Putin saiu em defesa dos Cristãos, política pró-cristã  adotada por Donald Trump após sua eleição como presidente dos EUA.

Trump e Putin, e seus aliados no Oriente Médio levaram o Daesh ao fracasso, após um período de destruição financiada pelo ocidente, na ideia globalista de fortificar o islamismo e esmagar o judaísmo, cristianismo e o capitalismo.

Putin, além de ter controle de uma base na Síria, deu passos importantes para expandir território, anexando a Criméia na Ucrânia e usando-a com base militar, com apoio dos Russos na Ucrânia e dos Russos da Rússia.

Mesmo diante de sanções econômicas, emitidas por Obama e Europa, além de duras críticas do Ocidente, nenhum país Europeu ou mesmo Obama se atreveu a enfrentar os Russos para impedir a anexação da Criméia. Casos como este, facilmente pode levar a guerras mundiais, diante dos aliados envolvidos.

Mas, qual país ousaria enfrentar a Rússia que possui mísseis virados para a Europa? Ninguém!

Tudo isto corrobora o poder militar Russo, ante a retórica exacerbada de Erdogan, que mal consegue ficar no poder sem dividir a nação, religiosamente e politicamente.

Os problemas na Criméia começaram em novembro/2013, quando multidões foram às ruas da capital ucraniana, Kiev, para pressionar o então presidente ucraniano, Viktor Yanukovich, a fechar um acordo comercial com a União Europeia em detrimento de um acordo com a Rússia. Yanukovich optou por rejeitar o acordo com a Europa, aceitando um acordo bilionário e descontos no gás natural com a Rússia de Putin.

Com isto, houve uma grande revolta interna, e um racha entre grupos pró-Europa e pró-Rússia. A Criméia tem uma divisão política e cultural que acontece em toda a Ucrânia, o leste do país tende a ser pró-Rússia e o oeste, pró-UE.

Na Criméia há cerca de 2 milhões de pessoas que moram naquela península, mais da metade se considera de origem russa e, inclusive, fala russo no dia a dia.

No século 18, a Crimeia foi absorvida pelo império russo, e criado uma base da Frota do Mar Negro.

Entre 1853 e 1856, mais de 500 mil pessoas morreram na Guerra da Crimeia entre a Rússia e o Império Otomano, o último apoiado pelo Reino Unido e França. 

Sendo assim, o Porto de Sebastopol é imprescindível para a Rússia, justamente por ter uma posição estratégica no Mar Negro, o único capaz de acolher e dar logística à completa frota de navios da Rússia no Mar Negro.

O Mar Negro é um importante "canal" em direção ao Mar Mediterrâneo, que exerce um papel importante para a política externa russa, tendo acesso a Turquia, Síria, Líbano e Israel; e obviamente ao mundo inteiro pelo Sul.

Então em 24 de fevereiro de 2014 as Forças Especiais Russas desembarcaram na península da Crimeia, no sul da Ucrânia, e tomaram controle da região da Criméia, fortalecendo a influência Russa no Oriente Médio, e permitindo acesso através do Mar Mediterrâneo à Israel.

Diante do exposto, é visível que o poderio bélico russo realmente impera no Oriente Médio em oposição a influência americana e da OTAN, que visivelmente tem mostrado também divisões internas, que talvez em algum momento os EUA possa perder o interesse na região deixando a Arábia Saudita e Israel isolados diante da poderosa Rússia, que tem como aliado Bashar Al Assad inimigo número um de Israel e da Arábia Saudita, mas que diante do enfraquecimento do Daesh, também tem tido um apoio tímido de Erdogan.

A Turquia que já totalizou quatro golpes nos últimos 56 anos, não teria condições de liderar um ataque a Israel, sem a liderança da Rússia, e se efetivamente a Turquia fizesse, seria apenas loucura, e motivo de comemoração para os xiitas quem fazem oposição a política Turca, e a concretização de um Curdistão sem a influência inimiga turca do país.

A Rússia nuclear jamais se submeteria a liderança de qualquer país, quanto mais de um país a beira do colapso, inimiga de seus principais aliados como a Síria e Irã.

E mesmo no pior cenário, um mundo fictício sem base militar russa na Síria, existindo uma coalizão da Turquia, Síria, Iraque; como poderiam ter apoio do Irã para tentar enfrentar um país nuclear como Israel? Seria loucura!

Tanto Turquia, Síria e Iraque estão nos caos interno; o Irã ainda não tem o domínio nuclear, neste caso, os primeiros a receberem as ogivas israelenses seriam a Turquia, Síria e Iraque por sua fragilidade militar. No caso do Irã, seriam vários mísseis de longa distância, e como o país persa não tem o Cúpula de Ferro, o estrago seria devastador.

Israel possui a única tecnologia do mundo que realmente funciona como um escudo antimíssil.

A Cúpula de Ferro faz parte de um amplo sistema de defesa aérea operado por Israel e projetado para proteger o país de mísseis balísticos, mísseis de cruzeiro, foguetes e outras ameaças aéreas (a força aérea dos vizinhos rivais a Israel é, em geral, obsoleta e não há competição local com o poderio aéreo israelense).

Esse sistema é tanto defensivo (como no caso do escudo) quanto ofensivo. Israel faz uso dele para destruir instalações de lançamento em território inimigo e interceptar navios com armamentos vindos do Irã e da Síria destinados para militantes do Hezbollah e do Hamas.

O Cúpula de Ferro contou com o financiamento de mais de US$ 200 milhões dos Estados Unidos e é orientado para interceptar mísseis relativamente pouco sofisticados.

Ele foi projetado pela empresa Rafael Advanced Defense System LTD, uma companhia privada próxima às Forças Armadas israelenses e que constrói sistemas de defesa aéreos, marítimos e terrestres.

As baterias são compostas de mísseis interceptores, radares e sistemas de comando que analisam onde os foguetes enviados por inimigos podem cair.

Cada bateria tem um custo de instalação de US$ 50 milhões e cada míssil interceptor Tamir custa cerca de US$ 60 mil.

 

Da análise militar:

 

Informações obtidas pelo site da BBC, e o levantamento anual foi conduzido pelo site Global Firepower. Sobre as ogivas de Israel, utilizei a informação do site icanw.org.

 

EUA:

Efetivo (ativo e reserva) 2,5 milhões
Orçamento 587 bilhões de dólares
Ogiva nuclear  7.100
Tanques 5.884
Aeronaves 13.762
Porta-aviões 19
Submarinos 70
Classificação em 2016

 

Rússia:

Efetivo (ativo e reserva) 3 milhões
Orçamento 44 bilhões de dólares
Ogiva nuclear 7.300
Tanques 20.216
Aeronaves 3.794
Porta-aviões 1
Submarinos 63
Classificação em 2016

 

China

Efetivo (ativo e reserva) 4,6 milhões
Orçamento 161 bilhões de dólares
Ogiva nuclear 260
Tanques 6.457
Aeronaves 2.955
Porta-aviões 1
Submarinos 68
Classificação em 2016

 

Turquia:

Efetivo (ativo e reserva) 596 mil
Orçamento 8,2 bilhões de dólares
Ogiva nuclear 0
Tanques 2.445
Aeronaves 1.018
Porta-aviões 0
Submarinos 12
Classificação em 2016

 

Israel:

Efetivo (ativo e reserva) 790 mil
Orçamento 15,5 bilhões de dólares
Ogiva nuclear 80
Tanques 2.620
Aeronaves 652
Porta-aviões 0
Submarinos 6
Classificação em 2016 16º

 

Irã:

Efetivo (ativo e reserva) 2,3 milhões
Orçamento 6,3 bilhões de dólares
Ogiva nuclear 0
Tanques 1.616
Aeronaves 477
Porta-aviões 0
Submarinos 33
Classificação em 2016 21º

 

Arábia Saudita:

Efetivo (ativo e reserva) 260 mil
Orçamento 57 bilhões de dólares
Ogiva nuclear 0
Tanques 1.142
Aeronaves 790
Porta-aviões 0
Submarinos 0
Classificação em 2016 24º

 

Das notícias:

 

PUTIN - O FALSO MORALISTA

http://www.ministeriodavar.com/putin-o-falso-moralista.aspx

 

Embaixadora dos EUA: “ONU atrapalha a paz entre israelenses e palestinos”

https://noticias.gospelprime.com.br/embaixadora-dos-eua-onu-atrapalha-a-paz-entre-israelenses-e-palestinos/

 

Putin quer substituir Trump em negociações de paz entre Israel e palestinos

https://noticias.gospelprime.com.br/putin-trump-negociacoes-israel-palestinos/

 

Rússia proíbe Testemunhas de Jeová; evangélicos podem ser os próximos 

https://noticias.gospelprime.com.br/russia-proibe-testemunhas-de-jeova/

 

Rússia pressiona Israel para dividir Jerusalém com palestinos

https://noticias.gospelprime.com.br/russia-pressiona-israel-dividir-jerusalem-palestinos/

 

Rússia e Irã dizem que EUA ultrapassou limites e ameaçam “guerra de verdade”

https://noticias.gospelprime.com.br/russia-ira-eua-ultrapassou-limites-guerra-de-verdade/

 

Palestina pede que Rússia impeça embaixada dos EUA em Jerusalém

https://noticias.gospelprime.com.br/palestina-russia-embaixada-eua-jerusalem/

 

Da conclusão:

 

Acredito que não teremos dificuldade para o entendimento acerca de qual país encabeçará o ataque a Israel.

Do ponto de vista geográfico utilizando Josefo, nota-se que a região de Magogue é predominantemente a Rússia, Tubal vai da Turquia ao Irã e Meseque abrange a Federação Russa do Cáucaso, Irã, Turquia, Armênia, Azerbaijão e Síria.

Logo, a única potência capaz de ataque Israel por força militar e nuclear seria a Rússia, que possui a maior quantidade de ogivas nucleares do mundo, ganhando inclusive dos EUA.

Sendo assim, nenhum país no Oriente Médio teria condições de liderar a Rússia, nem mesmo a Turquia que está vivendo um processo de instabilidade entre o governo e os militares.

Sendo a Rússia, o Rosh (capitão) da região, ela juntará um exército da Síria, Iraque, Irã, Turquia, Líbia e Sudão (Norte) para o ataque a Israel. Como as linhas territoriais não são tão exatas se baseando na migração de povos e colonização de diferentes impérios seria possível, por exemplo, apoio ainda de outros países como Azerbaijão, Cazaquistão, Armênia, Geórgia, Kuwait e Criméia (Ucrânia). Todas essas variações de países são baseadas nos mapas apresentados nestes artigos.

Com este exército poderoso, acompanhado de um Império Nuclear, humanamente Israel não sobreviveria. Não teria condições diante deste rochedo belicoso, somente a Rússia, Irã e Turquia já formam um exército de quase 6 milhões de soldados contra 790 mil soldados israelenses!

No aspecto nuclear, seriam 7.300 ogivas da Rússia contra 80 ogivas de Israel... Seria como um carro atropelando uma mosca!

Não por acaso, a salvação vem de forma imerecida, através da graça do D'us de Israel aos Judeus e a nação, onde não haverá intervenção de Israel sobre os inimigos, somente quando Adonai autorizar para capturar as armas, os despojos e prender em anzóis o líder principal, Gogue, que será troféu para os judeus.

Para você ter ideia do evento, será como uma intervenção do D'us de Israel aos moldes do Egito, nos tempos modernos. As nações ficarão espantadas diante do cenário de destruição dos inimigos de Israel, saindo em todas as mídias e jornais do mundo.

Toda a região será abalada por terremotos, chuvas de saraiva, eventos no mar e no céu; seria como um cenário apocalítico, logo no início dos sete anos ou próximo do início.

A região do ataque ocorrerá nas montanhas ao Norte de Israel e demorará sete meses para retirar todos os cadáveres, e Israel precisará de apoio da população para conseguir remover os corpos e enterrá-los.

Será o primeiro maior golpe contra o sistema idólatra do anticristo, que logo fará uma revisão política e militar, preparando todas as nações da terra para o Armagedom.

Diferente do ataque de Gogue e Magogue, o Armagedom será a unificação de todas as nações da terra contra Israel, e esta guerra durará três anos e meio até a vinda visível do Senhor Jesus sobre Jerusalém, onde ele colocará um fim ao Império Babilônico Romano e Islamita do Anticristo.

Nunca houve nada comparado com o cenário do Armagedom na história da humanidade, e possuirá oito fases de batalhas, começando no Norte de Israel caminhaNdo até o vale da matança no Sul. Nem mesmo a batalha de Gogue e Magogue, se compara com a guerra do Armagedom.

 

Da bibliografia:

http://www.ministeriodavar.com/eua-e-israel-dao-um-duro-golpe-no-islamismo-na-unesco.aspx

http://www.ministeriodavar.com/o-silencio-da-midia-a-palestina-que-persegue-cristaos.aspx

http://www.ministeriodavar.com/um-marco-na-historia-de-israel-e-dos-judeus.aspx

http://www.ministeriodavar.com/putin-o-falso-moralista.aspx

http://www.ministeriodavar.com/armagedom-e-a-queda-das-nacoes-gentilicas.aspx

http://www.ministeriodavar.com/islamicos-pregam-que-jesus-e-muculmano.aspx

http://www.ministeriodavar.com/a-igreja-catolica-e-sua-ligacao-com-o-islamismo.aspx

https://noticias.gospelprime.com.br/erdogan-islamicos-nao-protegerem-jerusalem-perder-meca/

https://noticias.gospelprime.com.br/papa-vem-dialogando-com-lideres-islamicos-sobre-jerusalem/

https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2017121610088005-china-apoia-jerusalem-oriental-palestina/

https://noticias.gospelprime.com.br/nikki-haley-embaixadora-eua-onu-israel/

https://noticias.gospelprime.com.br/papa-recado-trump-palestina-estado/

https://oglobo.globo.com/mundo/palestinos-atacam-declaracao-dos-eua-sobre-muro-das-lamentacoes-22200391?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=O%20Globo

https://noticias.gospelprime.com.br/trump-contraria-onu-e-deve-declarar-que-muro-das-lamentacoes-e-de-israel/

https://noticias.gospelprime.com.br/papa-se-encontra-com-pastores-e-lideres-no-vaticano/

https://noticias.gospelprime.com.br/papa-pastores-pentecostais-vaticano/

https://noticias.gospelprime.com.br/papa-pastores-pentecostais-vaticano/

https://noticias.gospelprime.com.br/papa-francisco-visita-pastores-unidade/

http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2016/07/entenda-o-golpe-militar-na-turquia-e-o-que-ele-significa-para-o-mundo.html

https://exame.abril.com.br/mundo/20-paises-e-sua-relacao-com-a-bomba-atomica/

https://exame.abril.com.br/mundo/as-maiores-potencias-militares-do-mundo-em-2017/

https://www.youtube.com/watch?v=zy1FE1A5YoI

https://www.youtube.com/watch?v=yXvv8F2As9Q

https://pt.wikipedia.org/wiki/For%C3%A7as_Armadas_da_Turquia

https://misteriosdomundo.org/eua-x-russia-uma-comparacao-entre-os-poderes-belicos/

https://pt.wikipedia.org/wiki/For%C3%A7as_Armadas_da_R%C3%BAssia

http://www.dw.com/pt-br/que-haja-uma-corrida-armamentista-diz-trump/a-36898013

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mar_de_Aral

https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A1rmatas

https://pt.wikipedia.org/wiki/Citas

https://pt.wikipedia.org/wiki/Medos

https://joelstrumpet.com/where-is-magog-meshech-and-tubal/

http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/01/160104_diferencas_sunitas_xiitas_muculmanos_lab

https://super.abril.com.br/historia/qual-a-diferenca-entre-arabe-curdo-turco-persa-sunita-e-xiita/

http://blogs.timesofisrael.com/sunni-shia-geopolitics-maintaining-the-balance-of-power-in-the-levant-through-intervention/

 https://istoe.com.br/guerra-na-siria-ja-deixou-mais-de-330-mil-mortos-osdh/

 http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/03/1422015-entenda-porque-ucrania-e-russia-brigam-pelo-controle-da-crimeia.shtml

 http://www.dw.com/pt-br/porto-de-sebastopol-%C3%A9-imprescind%C3%ADvel-para-a-r%C3%BAssia-diz-analista/a-17500256

 http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/08/140804_escudo_antimissel_israel_jm_kb

 https://www.youtube.com/watch?v=rl-6xUmI3gQ

 https://noticias.gospelprime.com.br/trump-ameaca-cortar-ajuda-de-quem-votar-contra-israel-na-onu/

https://noticias.gospelprime.com.br/voto-do-brasil-onu-aprova-resolucao-para-anular-decisao-dos-eua-sobre-jerusalem/

https://noticias.gospelprime.com.br/bispo-luterano-critica-visao-apocaliptica-sobre-jerusalem/

https://noticias.gospelprime.com.br/putin-trump-negociacoes-israel-palestinos/

https://noticias.gospelprime.com.br/coral-islamico-louva-allah-dentro-de-igreja-evangelica-na-inglaterra/

https://noticias.gospelprime.com.br/nacoes-unidas-querem-reverter-resolucao-de-trump-sobre-jerusalem/

https://noticias.gospelprime.com.br/catolicos-e-ortodoxos-contra-reconhecimento-de-jerusalem/

https://misteriosdomundo.org/eua-x-russia-uma-comparacao-entre-os-poderes-belicos/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Imp%C3%A9rio_Medo#/media/File:Median_Empire-pt.svg

https://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A1ucaso

https://www.biblegateway.com

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ass%C3%ADria

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mar_Negro

http://www.icanw.org/the-facts/nuclear-arsenals/

Bíblia anotada - Charles Ryrie 

Bíblia anotoda - Tim Lahaye

Todas as profecias da Bíblia - John Walvoord 

Manual de escatologia - Dwight Pentecost

O Glorioso Retorno - Final dos tempos 

 

Silas Anastácio
Evangelista e Expositor Bíblico
JERUSALÉM ETERNA